Carreira

Ênfase da pós-graduação: o que preciso analisar para escolher?

Atualizar-se é uma decisão sábia para ascender profissionalmente e manter a empregabilidade no mercado de trabalho. Nesse sentido, os programas de pós-graduação são indicados para uma formação mais completa e para um autogerenciamento de sucesso.

Porém, antes de escolher seu curso, é preciso compreender como a ênfase da pós-graduação define a linha de estudos e reflete na rotina do aprendizado. Para tanto, você precisa analisar qual é o grau de especificidade do conhecimento que deseja adquirir e se ele vai ao encontro dos seus objetivos de carreira e perfil profissional.

A fim de ajudá-lo a compreender como a ênfase da pós-graduação faz total diferença no tipo de conhecimento entregue ao aluno, este post explica as abordagem dos programas de pós-graduação no Brasil e o que você deve analisar antes de fazer sua matrícula. Confira nas próximas linhas!

O que é a ênfase da pós-graduação?

Para falar sobre ênfase, é preciso que você compreenda as diferenças dos programas de pós-graduação existentes no Brasil. De acordo com o MEC, são dois grandes grupos de cursos: lato sensu e stricto sensu. Essas duas expressões latinas determinam as competências que serão desenvolvidas em cada segmento.

Os programas stricto sensu englobam os cursos de mestrado e doutorado e se destinam principalmente a pessoas interessadas na área acadêmica e pesquisa (embora não se limitem a esses públicos). Nesses cursos, o nível de conhecimento adquirido tem profundidade maior, e eles são bem exigentes em sua abordagem teórica. Inclusive, levam de 3 a 5 anos para serem concluídos. Culminam com a produção de dissertações e teses, conforme o caso.

Já os programas lato sensu são destinados ao aperfeiçoamento profissional. Seu objetivo é permitir a aquisição de novas competências para a aplicação prática no mercado de trabalho. Por isso, possuem duração, em média, de 360 horas — sendo, portanto, mais curtos que os stricto sensu — e finalizam-se com um trabalho de conclusão de curso em forma de monografia ou projeto.

Dessa forma, as Instituições de Ensino Superior (IES) desenvolvem seus cursos de especialização, MBA e programas de mestrado e doutorado de acordo com observações sobre as demandas da sociedade e direcionam a metodologia pedagógica para capacitar os profissionais e enfrentar as exigências do mercado.

Com isso, cada segmento de pós-graduação engloba inúmeras linhas de pesquisa e abordagens práticas, definidas de acordo com as várias áreas do conhecimento, profissões e expectativas do mercado. Dentro dessa perspectiva, podemos concluir que a ênfase da pós-graduação é o recorte explorado por cada programa ou curso dentro de uma área mais ampla de investigação.

E como as transformações na sociedade e no mercado de trabalho são cada vez mais rápidas, a oferta dos cursos de pós-graduação também aumenta, a fim de que você possa sair à frente da concorrência com uma formação capaz de trazer inovação para sua área profissional.

Como a ênfase influencia o andamento do curso?

A ênfase da pós-graduação vai determinar o tipo de qualificação que você terá ao fim do curso e o andamento das atividades. Conforme a metodologia de ensino e os conteúdos programáticos, o curso poderá exigir sua dedicação integral (como acontece em mestrado e doutorado) ou parcial (horários flexíveis e mais tempo para outras atividades).

Tomando como exemplo a pós lato sensu, você percebe um dinamismo maior na entrega dos conteúdos em relação ao mestrado e doutorado, exatamente por sua proposta mais técnica, voltada ao mercado. Em razão da ênfase à abordagem prática, a logística do curso acaba sendo mais flexível e exige menor participação presencial do aluno (conforme a área de atuação).

Por isso, o número de especializações vem aumentando, sobretudo com oferta de cursos inteiramente na modalidade de educação a distância (EAD). Tanto que o aperfeiçoamento dos ambientes virtuais de aprendizagem cresceu a ponto de entregar conteúdos com qualidade igual ou até mesmo superior em relação aos cursos unicamente presenciais.

O mais importante é você ter a consciência de como a ênfase da pós-graduação se encaixa aos seus objetivos profissionais em médio e longo prazos e se a modalidade do curso oferece os conhecimentos que você identificou como imprescindíveis à sua especialização.

O que observar para decidir a ênfase da pós-graduação?

Para ajudar você a ter mais claros os objetivos ao escolher a ênfase do seu curso de pós-graduação, vamos listar alguns pontos a serem considerados na tomada de decisão. Analise-os e decida pelo curso que melhor se encaixa ao seu perfil e às suas necessidades.

Anseios profissionais

Ter metas e objetivos claros é fundamental para que você não perca tempo entrando de cabeça em um curso que não oferecerá um retorno real além de um certificado. Se você já tem uma carreira estruturada e quer alçar novos voos, ainda que no mesmo emprego, precisa reconhecer quais os benefícios um curso de pós-graduação trará a você após a conclusão. A partir daí, você pode começar a pesquisar áreas em que tem mais afinidade e quais IES oferecem melhores oportunidades de estudo de acordo com o seu perfil.

Necessidades individuais de especialização ou do seu setor

Como dissemos, o mercado está cada vez mais dinâmico. Ainda que você tenha um emprego estável, é preciso atenção às demandas que estão aparecendo em seu setor. É importante refletir sobre quais lacunas de conhecimento existem em sua formação e como a ênfase da pós-graduação pode suprir essas carências.

Se você trabalha em uma área mais técnica, é importante identificar se seus conhecimentos estão alinhados, por exemplo, com as novas tecnologias e a era digital. Por sua vez, se seu foco é pesquisa científica e área acadêmica, programas de mestrado e doutorado certamente lhe cairão bem.

Em ambos os casos, é fundamental responder claramente à pergunta: “por que estou fazendo este curso?”. Dessa maneira, você evita frustrações e ganha ânimo para encontrar aplicabilidade a esses novos conhecimentos.

Disponibilidade de estudo e recursos

Seja em lato ou stricto sensu, você deverá ter o compromisso de dedicar algumas (ou muitas) horas da semana para seu estudo. Se a pós for presencial, lembre-se de que terá de organizar sua agenda para estar no local de estudo. Caso possa cursar EAD, você necessitará de infraestrutura e privacidade para dar conta das tarefas a serem cumpridas.

Além disso, a pós-graduação demanda recursos financeiros. Por isso, é preciso fazer as contas para não comprometer seu orçamento. Também considere gastos com viagens, pesquisas de campo, participação em eventos e até redução de sua carga horária de trabalho, de maneira que esses detalhes não impeçam a realização do curso ou, tampouco, prejudiquem seu rendimento.

Reputação da universidade escolhida

A reputação da IES e a experiência em programas de pós-graduação fazem total diferença na escolha do seu curso. Sendo assim, nunca deixe estes pontos de fora de sua análise:

  • avaliação do MEC;

  • grade curricular atualizada;

  • linhas de pesquisa;

  • metodologia de ensino;

  • nível do corpo docente e experiência de atuação;

  • respeitabilidade da IES perante o mercado;

  • utilização de tecnologias.

Networking e seu currículo

Os programas de pós-graduação também são uma excelente maneira de você ampliar sua rede de relacionamentos de trabalho. Por meio deles, você poderá se aproximar de especialistas e profissionais de destaque em sua área, criando novas oportunidades na carreira. Ainda, conforme a ênfase do programa, seu currículo poderá ser enriquecido com diferentes titulações, como mestre, doutor, especialista ou MBA — itens que elevam o peso de sua formação ao pleitear novos cargos em sua área.

Agora que você compreende como a ênfase da pós-graduação define muitos caminhos em sua atualização profissional, não hesite em buscar o melhor programa para o seu perfil.

Mas antes de dar o próximo passo, confira se este é um bom momento para investir nos seus estudos e se convença de uma vez!

 

Share This