Carreira

O que considerar na hora de escolher uma segunda graduação?

Diante da competitividade do mercado de trabalho e a busca por uma carreira de sucesso, muitas pessoas acabam se deparando com a necessidade de fazer uma segunda graduação para obterem mais conhecimento ou para mudar os rumos da sua profissão.

Nesses momentos, é comum surgirem algumas dúvidas, afinal, a escolha de um novo curso superior deve passar por uma análise minuciosa do seu perfil profissional e dos objetivos que deseja alcançar. Dependendo dos resultados dessa análise, optar por uma pós-graduação pode ser mais vantajoso do que começar uma nova graduação do zero, por exemplo.

Para auxiliá-lo nesse momento de dúvidas e incertezas, vamos listar a seguir o que você precisa levar em consideração para escolher uma nova graduação e vamos analisar também se essa é a melhor opção. Quer saber mais? Então acompanhe o post de hoje!

Quando investir em uma segunda graduação?

Começar um novo curso superior do zero não é algo fácil. Você precisa ter em mente que esse é um investimento que pode durar de dois a cinco anos, dependendo da sua escolha (técnico ou bacharelado). Por isso, é preciso pesquisar bastante para avaliar se essa é realmente a melhor opção.

A grande vantagem de voltar a estudar é a sua familiarização com o curso superior. Como você já passou por isso antes, sabe muito bem como funciona a graduação e terá mais maturidade para aproveitar tudo que o curso tem a oferecer, conseguindo se beneficiar muito mais da nova formação.

Geralmente, a escolha por uma segunda graduação parte de profissionais que não estão satisfeitos com a área de atuação escolhida anteriormente. Por exemplo, um bacharel em Direito que se sente infeliz em um escritório de advocacia pode perceber, de repente, que a verdadeira carreira dos seus sonhos é a Medicina. Com isso, é normal que ele parta em busca de uma nova graduação para poder finalmente atuar naquilo que realmente lhe agrada.

Outra situação, também comum, são profissionais que decidem fazer uma segunda graduação para complementar a anterior. Nesses casos, o curso escolhido está, de alguma forma, relacionado com a sua atual formação. Exemplo disso é o psicólogo que decide estudar Medicina, aprofundando-se, assim, no conhecimento das duas áreas.

Em ambos os casos, a nova graduação é capaz de oferecer grandes oportunidades e, inclusive, pode ser a chave para a sua realização profissional. Porém, como já mencionamos, é preciso avaliar alguns fatores para fazer a melhor escolha possível.

Quais fatores devem influenciar a sua escolha?

Na hora de escolher a sua segunda graduação, existem algumas dicas que ajudam a garantir a decisão certa. Vamos listar a seguir os principais fatores que devem ser observados nesse momento para evitar arrependimentos futuros.

Instituição de ensino

Como uma pessoa que já passou pela faculdade, você provavelmente sabe a importância que a própria instituição de ensino tem no seu aprendizado. Afinal, é nela que estão concentrados os recursos que permitem a sua formação acadêmica.

Se uma instituição de ensino não tem infraestrutura suficiente para atender às demandas dos estudantes, isso significa que ela não é uma boa opção. Salas de aula, laboratórios, bibliotecas, professores disponíveis, entre outras coisas são essenciais para a sua educação. Portanto, busque apenas opções que contam com tudo isso.

No caso do ensino a distância, é essencial que a instituição ofereça uma plataforma intuitiva e organizada para que os estudantes possam assistir às aulas online. É importante também verificar se os polos presenciais contam com serviços e infraestrutura para atender aos estudantes.

Duração do curso

Ao decidir obter uma segunda graduação, o tempo de duração dos cursos também é algo a ser considerado. Afinal, quanto mais cedo você obtiver seu diploma, mais rápido conseguirá mudar os rumos da sua vida profissional.

Nesse ponto, cursos técnicos podem ser mais vantajosos que bacharelados, pois costumam ser focados em um campo bem específico e têm a duração menor. Enquanto o bacharel demora cerca de quatro ou cinco anos para se formar, o tecnólogo consegue o seu diploma na metade do tempo.

É claro que, no fim das contas, essa decisão depende dos seus objetivos. Se não for possível investir na carreira dos seus sonhos por meio de um curso técnico, então a solução é fazer o bacharelado mesmo. Nesse caso, ainda existe a possibilidade de aproveitar algumas matérias já cursadas na sua graduação anterior, diminuindo a duração do curso.

Custos

Por mais que a educação deva ser vista como um investimento na sua carreira, é inevitável não pensar nas despesas geradas por ela. Não se trata apenas da mensalidade do curso, mas também dos gastos com transporte, alimentação, materiais etc.

É importante buscar uma opção que ofereça poucas despesas sem perder a qualidade do ensino. Nesse aspecto, os cursos a distância podem oferecer o melhor custo-benefício, tendo em vista que, além de sua mensalidade ser inferior, eles também evitam gastos emergentes, já que você não precisa sequer sair de casa para assistir às aulas e boa parte do material é disponibilizada online.

Tempo disponível

Por fim, não adianta querer investir em uma segunda graduação se você não tem condições de frequentar as aulas. Quem já está inserido no mercado de trabalho e não pode abandonar seu emprego para voltar a estudar precisa encontrar uma forma de conciliar o trabalho e estudos.

Os cursos a distância mais uma vez apresentam vantagem nesse aspecto, pois permitem que os estudantes estabeleçam seu próprio horário. Dessa forma, é possível criar uma rotina de estudos sem interferir na sua vida profissional. É claro que isso exige disciplina e organização.

Fazer pós-graduação é uma alternativa?

Dependendo dos seus objetivos, talvez não seja necessário cursar uma segunda graduação para alavancar a sua carreira. Investir em uma pós-graduação pode muito bem dar conta do recado.

Caso você não saiba, as especializações não precisam estar vinculadas à sua formação superior. Se um nutricionista quiser fazer uma pós-graduação em Contabilidade, por exemplo, não há problema nenhum! Ainda que você queira mudar os rumos da sua carreira, essa é uma alternativa viável.

Mas é claro que a maioria das pessoas preferem investir na pós-graduação como uma forma de aprimoramento da sua atual formação. Por isso, ela é mais recomendada para aqueles que não estão à procura de mudanças muito radicais, enquanto a segunda graduação é direcionada a quem deseja mudar completamente os rumos da carreira.

Vale lembrar que a pós-graduação se divide em stricto sensu e lato sensu, sendo a primeira focada mais na área acadêmica (mestrado e doutorado) e a segunda numa atuação mais prática (especialização e MBA, por exemplo). A escolha entre uma delas depende inteiramente dos seus objetivos profissionais.

Em resumo, caso você se sinta desmotivado e pensa que escolheu a profissão errada, então, investir em uma segunda graduação talvez seja realmente a melhor escolha para mudar os rumos da sua carreira. Porém, se você gosta da sua área de atuação e deseja apenas incrementar o currículo e se especializar ainda mais, a pós-graduação é a opção certa!

Para saber mais sobre o que é melhor para você, baixe agora mesmo o nosso e-book com quatro dicas para escolher a pós-graduação perfeita para o seu perfil!

 

Share This