Carreira

O que você precisa saber sobre ética profissional no trabalho

A ética nas organizações é um assunto que tem levantado muitos debates. Num olhar amplo sobre a sociedade, ética significa um contrato social em que as pessoas “abrem mão de sua liberdade”, em um esforço coletivo para que a convivência seja possível.

Em todos os grupos sociais, formais ou informais, existem convenções e regras a serem seguidas a fim de garantir harmonia e respeito mútuo — e isso também se aplica às empresas. Nesse sentido, a ética profissional no trabalho é o princípio básico para a sobrevivência de qualquer ambiente corporativo.

Vamos refletir? Neste post, mostraremos como os profissionais precisam da ética em sua atuação e quais impactos ela gera nas empresas e instituições. Confira!

O que significa ética profissional no trabalho?

Diferentemente da moral, que dita o que é bom ou ruim numa convivência civilizada, a ética indica o que é mais justo diante de escolhas que afetam outras pessoas ou grupos.

A maioria das profissões tem seu próprio código de ética. Trata-se de um conjunto de normas e atitudes obrigatórias que norteiam a atuação e o comportamento esperado para todo profissional.

Os códigos de ética são tão importantes que em certos casos acabam tendo força de lei. Ainda que não representem a legislação oficial do país, eles podem ser utilizados como argumento em defesa ou acusação diante de algum fato envolvendo determinado profissional.

Por exemplo, quando há algum incidente com um médico, costuma-se ouvir notícias do tipo: “O Conselho Federal de Medicina cassou o registro do médico Dr. X”. Isso significa que a conduta do Dr. X foi inaceitável a ponto de impedi-lo de continuar exercendo a profissão. O contrário também pode acontecer. Um profissional cometeu uma transgressão à lei, mas agiu de acordo com o código de ética de sua profissão. Portanto, o código torna-se um instrumento de defesa.

Do ponto de vista empresarial, é muito comum que empresas consolidadas construam manuais de conduta e procedimentos que todo profissional precisa seguir naquele ambiente. Segundo o cientista social, Robert Henry Srour, “uma empresa que quer ser duradoura precisa desenhar políticas capazes de valorizar sua marca e seu capital de reputação”.

Esses manuais seguem padrões éticos sociais, aplicados por meio de normas internas que apontam:

  • procedimentos administrativos;

  • protocolos de comunicação;

  • utilização do espaço físico e equipamentos;

  • dress code (ou vestimentas adequadas);

  • parâmetros de atendimento;

  • posturas no ambiente organizacional e valores a serem respeitados (como preservação do meio ambiente e lisura).

Funcionando como uma espécie de “constituição” interna, os manuais de conduta são indispensáveis ao alcance de metas e objetivos e corroboram a missão e a visão organizacionais. Quem não segue essas normas pode, no mínimo, ser advertido ou demitido, e, em último caso, sofrer sanções legais. Desrespeitar o código de ética pode impactar até mesmo os negócios, e a empresa pode ser profundamente desvalorizada, como em caso de escândalos, por exemplo.

Os códigos de ética internos, no entanto, não são ferramentas para prejudicar as relações ou a liberdade dos funcionários. Pelo contrário, essas regras resgatam valores importantes que devem ser exercitados diariamente e auxiliam nas tomadas de decisão, mediação de conflitos e no bem viver dentro da organização ― com reflexos positivos ou negativos junto à comunidade e aos consumidores. Além disso, podem influenciar o reconhecimento do colaborador, não somente pelo trabalho, mas também pelo exemplo de sua conduta.

Quais são as vantagens da ética no trabalho?

A ética profissional no trabalho representa uma série de benefícios para toda a organização. Portanto, deve nortear a cultura organizacional e fazer parte do cotidiano como forma de se criar um ambiente de trabalho harmonioso e fluido para as pessoas e os negócios. Veja a seguir algumas dessas vantagens que confirmam tais valores:

Aumento da confiabilidade entre os colaboradores

Onde há honestidade, há confiança. Quando a empresa sustenta um ambiente de honestidade, sem escândalos ou ações obscuras, isso é refletido nos colaboradores. Desse modo, cria-se uma relação de transparência no ambiente organizacional e surge maior cooperação. Por outro lado, a falta de transparência e a competitividade negativa podem gerar hostilidade.

Satisfação dos trabalhadores

Promover um ambiente de respeito e com boas condutas gera satisfação por parte dos colaboradores. Se estes estão satisfeitos, tendem a realizar um trabalho de maior qualidade e prestar melhor atendimento aos clientes. Ainda, situações de estresse, desmotivação pelo trabalho e, inclusive, afastamento por motivos de doenças psicossociais, como depressão e síndrome do pânico, costumam diminuir.

Respeito pela organização

Quando a empresa fomenta uma conduta pautada pela ética, a organização ganha respeito por parte de todos os seus públicos: funcionários, clientes, fornecedores, parceiros e sociedade em geral. Internamente, esse respeito é reflexo de um ambiente de trabalho saudável e harmonioso, com menos espaço para fofocas, brincadeiras de mau gosto ou mesmo tolerância a preconceito e assédio.

Maior produção e lucratividade

Se o ambiente é saudável e os funcionários estão felizes, a empresa certamente produzirá melhor e com mais responsabilidade. Com orgulho de trabalhar na organização, o empenho em fidelizar clientes e buscar novas oportunidades de negócio reflete diretamente na lucratividade e no posicionamento da marca.

Ademais, gastos resultantes de erros em procedimentos, defeitos em produtos ou custos relacionados a processos jurídicos e afastamento de pessoal tendem a diminuir. Com isso, a empresa pode focar melhor nos seus negócios e aperfeiçoar a maneira de operar no mercado.

Imagem positiva junto à sociedade

O que a empresa entrega a seus clientes e à sociedade em geral reflete em sua imagem. Por exemplo, uma empresa que incentiva seus profissionais a ignorarem leis ambientais ou cometerem crimes, como desvio de verba ou maquiagem de produtos, poderá sofrer perdas irreparáveis, tanto do ponto de vista financeiro, mas, principalmente, com relação a sua reputação. E esse capital é muito mais difícil de ser recuperado, o que exigirá um profundo (e caro) trabalho de relações públicas e marketing para reconstrução da imagem organizacional junto à sociedade.

Como a ética profissional é aplicada no ambiente de trabalho?

Foco no crescimento profissional sem prejudicar colegas

As famosas “puxadas de tapete” perdem espaço quando há ética profissional no trabalho. O funcionário que deseja crescer dentro da empresa tende a empenhar-se em seu plano de carreira, contudo, sem prejudicar a atuação ou a imagem de outros colegas. Essa trajetória rumo à ascensão profissional vai acontecer de maneira saudável e cordial.

Menos incidência de atividades paralelas

Quando o clima organizacional está contaminado, há tendência ao surgimento de atividades paralelas que prejudicam as atividades da empresa. O usar indiscriminadamente aplicativos de celular, fazer tarefas de faculdade, perder tempo em redes sociais ou resolver assuntos particulares são alguns exemplos de atividades paralelas que nada têm a ver com o trabalho.

É possível, inclusive, que essa espécie de transgressão seja até mesmo um protesto individual por conta das posturas que a empresa adota em relação ao seu negócio e à sua equipe de colaboradores.

Respeito e diálogo com as diferentes hierarquias

Se a empresa consegue desenvolver condutas com base na ética, consequentemente o clima organizacional colabora para maior respeito entre as hierarquias e o diálogo é favorecido.

Como a tendência nas empresas atuais é horizontalizar os níveis hierárquicos, de maneira a aproximar gestores e funcionários operacionais, estes acabam ganhando voz e se sentem valorizados. E todos lucram com isso, sobretudo a empresa, que pode conseguir implantar excelentes ideias a partir do ponto de vista de quem está “com a mão na massa”.

Percebeu como a ética profissional no trabalho faz toda a diferença para o ambiente organizacional? Diante das velozes transformações na sociedade, com consumidores informados e ampla exposição na internet, é imprescindível seguir à risca códigos de comportamento pautados pela ética para que empresas e profissionais consigam construir e manter sua reputação.

Este artigo foi útil para você? Então, compartilhe-o em suas redes sociais e amplie este debate!

 

Share This