Carreira

Pós-graduação lato sensu e stricto sensu: conheça as diferenças

Fazer pós-graduação lato sensu e stricto sensu é importante para qualquer profissional que sonha em crescer na carreira. Isso porque você terá um diferencial competitivo e, desse modo, mais oportunidades profissionais.

Todavia, muitas pessoas não sabem ao certo o que caracteriza o mestrado, doutorado, MBA ou especialização. Para orientar você, preparamos este post que explica em detalhes as características de cada pós-graduação, para quem cada modalidade é indicada e, principalmente, as principais diferenças. Acompanhe!

O que é pós-graduação lato sensu?

O significado do termo em latim lato é “em sentido amplo”, por isso é uma pós-graduação voltada para quem está no mercado de trabalho e busca um aprofundamento ou competências específicas em um nicho de sua formação.

Pode ser de dois tipos:

  • especialização: aprimoramento em diversas áreas do conhecimento para profissionais que já estão no mercado de trabalho;

  • MBA (Master Business Administration): aprimoramento mais específico para a área de gestão e negócios. Indicado para empreendedores e para quem almeja cargos de liderança em empresas.

Apesar de a tradução da sigla MBA se referir a mestre, não é um curso de mestrado — mas sim uma especialização voltada para a área de negócios.

Para a pós-graduação lato sensu, o Ministério da Educação (MEC) exige carga horária mínima de 360 horas e é necessário ter o diploma de graduação (bacharelado, tecnológico ou licenciatura). Ao finalizar o curso, é preciso ter o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) aprovado para o aluno receber um certificado.

Existem ofertas nessa modalidade na forma presencial, semipresencial e a distância (EAD). E essa flexibilidade é importante, principalmente porque os profissionais que buscam uma especialização ou MBA trabalham e precisam coordenar a rotina com os estudos.

Por que é importante cursar?

O diploma de graduação confere um conhecimento mais generalista ao aluno sobre a área escolhida. E, ao cursar uma especialização ou MBA, é possível estudar mais a fundo determinado segmento. Com isso, o profissional consegue aprimorar seu currículo, ser promovido, ter um salário maior ou ainda ter mais conhecimento para empreender.

Veja como a pós lato sensu permite o aprofundamento em determinado segmento e melhora a atuação profissional: quem é formado em Pedagogia, por exemplo, pode fazer a especialização em Administração Escolar. Já quem cursou Enfermagem pode subir na carreira fazendo o MBA em Gestão e Enfermagem do Trabalho.

Para quem sonha com a estabilidade da carreira pública, fazer um curso de especialização pode também somar pontos na prova de títulos e ser um diferencial para conseguir as melhores posições em um concurso.

Outra vantagem é que as aulas da pós-graduação permitem uma interação com outros alunos que, na maioria das vezes, já estão no mercado de trabalho. Dessa forma, é possível fazer o networking — rede de contatos que abre novas oportunidades e permite troca de experiências e parcerias profissionais.

O que é pós-graduação stricto sensu?

Quem almeja a carreira acadêmica, atuando como professor universitário ou pesquisador, pode apostar na pós-graduação stricto sensu, termo em latim que significa “em sentido mais restrito”, isto é, uma formação mais científica, bastante aprofundada e que estimula a reflexão teórica em uma linha de pesquisa. São 3 tipos:

  • mestrado acadêmico: é preciso ter concluído a graduação e tem duração de 2 anos;

  • mestrado profissional: o pré-requisito é o diploma da graduação. Tem duração média de 2 anos e, apesar de ser stricto sensu, é mais voltado para o mercado profissional;

  • doutorado: exige o título de mestre e tem duração média de 4 a 5 anos.

A dedicação a esses cursos é mais intensa, por isso, é muito difícil conciliar os estudos com o trabalho. Geralmente, é exigido do aluno proficiência em língua estrangeira (principalmente o inglês) para que ele acompanhe o material teórico sem dificuldades.

O aluno tem créditos de disciplinas a cumprir e, ao final do curso, deve apresentar uma dissertação (mestrado) ou uma tese (doutorado) para uma banca examinadora. Quando aprovado, consegue o título de mestre ou doutor.

Essas titulações são pré-requisitos para quem quer dar aulas nas universidades, coordenar projetos de pesquisas e ainda orientar alunos pós-graduandos.

E quem pretende ainda fazer uma extensão da pesquisa realizada no doutorado, pode fazer o pós-doutorado (pós-doc). Porém, apesar de ser importante para quem quer continuar estudando, não confere nenhum título ao aluno.

É só para quem quer ser professor?

A pós-graduação stricto sensu pode ser o caminho para quem trabalha em laboratórios de indústrias e pretende fazer investigações científicas, principalmente na área farmacêutica e de biotecnologia.

Quem busca o mestrado profissional quer atuar no mercado de trabalho para aprofundar seus estudos em um determinado tema, porém não descarta a ideia de lecionar em instituições de ensino.

Quais as principais diferenças entre a pós-graduação lato sensu e stricto sensu?

A principal diferença entre as duas pós-graduações está no objetivo de carreira de cada aluno. Elas oferecem formações distintas voltadas para o mercado de trabalho (lato sensu) ou meio acadêmico e de pesquisa (stricto sensu).

Dessa forma, a carga horária do mestrado e doutorado é bem superior e mais teórica do que a da especialização e MBA. Além disso, a pós-graduação stricto sensu exige proficiência em língua estrangeira e um trabalho mais complexo e aprofundado (dissertação ou tese) ao final do curso. Assim, a dedicação a esse cursos, na maioria das vezes, é integral.

Já a pós-graduação lato sensu tem um cronograma de aulas e trabalhos que permitem que o aluno siga sua rotina profissional. Mesmo nos cursos presenciais, as disciplinas geralmente são no período noturno e aos fins de semana. Um ponto importante é que esses cursos proporcionam o contato e troca de experiências com outros profissionais.

No entanto, é preciso destacar que fazer uma modalidade de pós-graduação não exclui a outra. O importante é o aluno ter bem claro suas metas para investir seu tempo em uma formação que atenda às suas expectativas profissionais e plano de carreira.

A escolha da pós-graduação lato sensu e stricto sensu depende do caminho profissional que você almeja trilhar. As formações são direcionadas a objetivos bem distintos e, por isso, é preciso cautela para escolher a modalidade mais adequada ao seu perfil.

Quer cursar uma pós-graduação, mas ainda está confuso pois não sabe qual o seu perfil profissional — acompanhe este post e veja como identificar!

 

Share This